ArautoLeaks.

ArautoLeaks.

As vítimas dos Arautos do Evangelho desvelando a verdade.

Las víctimas de los Arautos del Evangelio desvelando la verdad.

The victims of the Heralds of the Gospel unveiling the truth.

Contribuições mais recentes


Contribuições mais recentes

03 / 04 / 2020Exéquias do primereiro arauto a morrer por complicações do COVID-19.


09 / 03 / 2020Arautos do Evangelho maquiam morte de Irmã Lívia Uchida


08 / 03 / 2020Uma senhora de 88 anos, incapaz, doa 2 imóveis: um ao cuidador e o outro aos Arautos do Evangelho. O juiz anula as doações em primeira instância.


29 / 02 / 2020Audio: Uma das cerimônias mais secretas - Cerimônia da Bagarre
                                     


28 / 02 / 2020Homilia de encerramento do XVI congresso de terciários


28 / 02 / 2020Rapport Mission interministérielle de vigilance et de lutte contre les dérives sectaires 2006 (TFP: Página 96)


16 / 02 / 2020Audio: Idosa dando os dados do cartão de credito


16 / 02 / 2020Audio: Escravidão a Nossa Senhora traduzida ao Meu Senhor Sacral (Plinio) - 6/4/1998


16 / 02 / 2020E agora também no Facebook


11 / 02 / 2020El Papa confirma el poder de Comisario Pontificio sobre Heraldos del Evangelio


02 / 02 / 202050 anos do primeiro encontro Plinio-João Clá
                          Parte 1    Parte 2    Parte 3

                          (vídeos pesados, paciência)
                                                               


01 / 02 / 2020El Papa envía una carta a los Heraldos para que acepten la intervención


05 / 01 / 2020Papéis de bombos são guardados e distribuídos como relíquia


27 / 12 / 2019Na contramão do Vaticano, Arautos do Evangelho intimida quem denuncia abusos


10 / 12 / 2019Grupo católico de extrema direita ocupa escola em São Paulo


6/ 12 / 2019Carta de renúncia de João Clá (2 de junho de 2017)


5/ 12 / 2019Cabeceira da cama de um menino que mora nos arautos


4/ 12 / 2019Carta do Dicastero per i Laici, la Famiglia e la Vita (12 de novembro de 2019)


21 / 11 / 2019Decreto de Comissariado. Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica (21 de setembro de 2019)


21 / 11 / 2019Arautos do Evangelho. Vaticano retoma a intervenção


20 / 11 / 2019Capítulo


19 / 11 / 2019El Vaticano retoma la intervención de los Heraldos del Evangelio


18 / 11 / 2019Dep. Glauber: Requerimento de informação ao MEC e ao Conselho Nacional de Educação


16 / 11 / 2019Livro: "No país das maravilhas: a Gnose burlesca da TFP e dos Arautos do Evangelho" (Prof. Orlando Fedeli)


13 / 11 / 2019Audio: Cavaleiros de Plinio


13 / 11 / 2019Audio: Graças com o Fundador


12 / 11 / 2019"Propósitos da Santa Franqueza"


10 / 11 / 2019Ordo: Usos e costumes
  Parte 1  Parte 2  Parte 3


9 / 11 / 2019Preces (breviário)


8 / 11 / 2019Audio: "Nossa Senhora quer que cada um conquiste dinheiro..."


7 / 11 / 2019Associação Cultural Montfort - Live sobre os Arautos do Evangelho


7 / 11 / 2019Uniforme de dormir: roupa social no caso do castigo da bagarre chegar à noite


7 / 11 / 2019Unhas e cabelos do Plinio


5 / 11 / 2019"Tendo em vista a proclamação da Bagarre..."


4 / 11 / 2019Birra violenta dos Arautos contra o repórter da Globo (3 vídeos)


4 / 11 / 2019Contra a Globo, Arautos assumem afinidade com o governo Bolsonaro


3 / 11 / 2019Audiovisual: João Clá Senhor dos senhores


3 / 11 / 2019Meninas marchando


2 / 11 / 2019Audio: "Entusiasmo pelo fundador"


2 / 11 / 2019Culto a Da. Lucilia (novena)


1 / 11 / 2019Diocese De São Mateus Pede A Fiéis Que Não Recebam Os Arautos Do Evangelho


31 / 10 / 2019Diocese capixaba pede a fiéis que não recebam os Arautos do Evangelho


31 / 10 / 2019Livia e João Clá


30 / 10 / 2019Arautos do Evangelho: OAB-SP entra na investigação de denúncias


29 / 10 / 2019“Nossa Senhora quer”: como o líder dos Arautos induzia jovens a conseguir dinheiro


28 / 10 / 2019Oficio CONDEPE – SP nº 212/2019 Ref.: Denúncia de violação de direitos humanos. Arautos do Evangelho...


28 / 10 / 2019Caso Livia: Pe. Alex reconhece "Vítima Expiatória" (Pg. 1)


28 / 10 / 2019Caso Livia: Pe. Alex reconhece "Vítima Expiatória" (Pg. 2)


28 / 10 / 2019Culto a João Clá (aniversário de 80 anos)


27 / 10 / 2019Fundador do Arautos do Evangelho dá tapas em jovens em novo vídeo


27 / 10 / 2019Laudo médico feito por amigo


27 / 10 / 2019Culto a Plinio


26 / 10 / 2019Nota de esclarecimento da Diocese de Ituiutaba


26 / 10 / 2019Os últimos conselhos de Plinio a João Clá


25 / 10 / 2019 Colombiana denuncia al fundador de los Heraldos del Evangelio


25 / 10 / 2019ARAUTOS DO EVANGELHO: CONDEPE PEDE QUE MORTE DE JOVEM SEJA INVESTIGADA


25 / 10 / 2019Conselho cobra celeridade em investigações sobre Arautos do Evangelho


25 / 10 / 2019El Vaticano investiga a los Heraldos del Evangelio por presuntos abusos sexuales a menores


25 / 10 / 2019Documentário das Vítimas (censurado no youtube)


24 / 10 / 2019Ministério Público investiga denúncias contra grupo católico conservador


24 / 10 / 2019MP discute unificar investigação sobre Arautos do Evangelho


23 / 10 / 2019Tapa na cara


23 / 10 / 2019Arautos do Evangelho desafiam Vaticano: intervenção é “inválida”


22 / 10 / 2019Proceso a docente por abuso a niño continúa (Colégio dos Arautos no Paraguay)


21 / 10 / 2019Associação considera 'inválido' e 'ilegal' o decreto do Vaticano que nomeou interventor para investiga-la


21 / 10 / 2019¿Por qué los Heraldos del Evangelio desconocen a los enviados del Papa?


20 / 10 / 2019Grupo católico é investigado por abuso psicológico e humilhações em internato de São Paulo


20 / 10 / 2019Documentos do Ministério da Educação (ano 2009 e 2010). Voto contrario ao credenciamento da Faculdade Arautos do Evangelho.


18 / 10 / 2019 Revista VIDA NUEVA - Heraldos del Evangelio: examen vaticano a fondo.


16 / 10 / 2019 #CHEGADEABUSO adicionado a nossa rede de apoio.


15 / 10 / 2019MP vai definir cronograma para ouvir ex-integrantes de grupo católico acusado de abusos


15 / 10 / 2019Crianças marchando


13 / 10 / 2019Grupo tradicional católico é acusado de abusar de menores


12 / 10 / 2019Castigos, exorcismos e denúncias: quem são os Arautos do Evangelho


11 / 10 / 2019Igreja católica investiga denúncia contra associação Arautos do Evangelho


10 / 10 / 2019EXCLUSIVO: o depoimento que fez Vaticano intervir nos Arautos do Evangelho


1 / 10 / 2019"Um cometa vai cair, prepare-se!"


28 / 9 / 2019ARAUTOS COMISSARIADOS!: várias notícias na mídia


27 / 9 / 2019Exorcismo em nome do Mons. João


25 / 9 / 2019Algumas das relíquias portadas por membros do grupo


25 / 9 / 2019Postergan por sexta vez juicio por abuso de menor (Colégio dos Arautos no Paraguay)


23 / 9 / 2019Prescrição médica feita por João Clá


23 / 9 / 2019João Clá abençoando armas em 1998


×

Tu eres sacerdote por la eternidad: según el orden de Plinio
(por un Sacerdote Católico)


Teniendo el enorme desagrado de haber visto un video interno de los Arautos, publicado en 2006 en ocasión del encuentro de Mons. Juan Clá y Dr. Plinio Correa hace ya 50 años, me llamó la atención un punto que, como teólogo, no pude dejar pasar desapercibido.

Se trata del ejercicio del sacerdocio entre los miembros de la sociedad Virgo Flos Carmeli (i.e. los Heraldos) en lo que tiene de más específico, es a saber, un sacerdocio subordinado mística (pero muy concretamente) a la sagrada esclavitud al Dr. Plinio.

El video, luego de una simpática homilía en que Mons. cuenta el relato de como él rezó piadosamente para que Dr. Plinio no mueriese y, en su defecto, para que resucitase alegremente y de cómo sus oraciones fueron atendidas en el amor, llegamos al punto (01:33 min. parte 3) que muestra al mencionado Mons. diciendo:

"Me conmueve mucho en el sacerdocio, para nuestro caso en concreto, que nosotros somos sacerdotes diferentes. Porque todo sacerdote opera in persona Christi, y ...., hablándo místicamente, .... quien consagra [en la Misa], dada esa consagración nuestra como esclavos, quien consagra, quien opera la transubstanciación, no somos nosotros, hablando místicamente, es él. Y esa idea de él consagrando, y no yo, me emociona [conmoción entre los presentes], porque yo sabía perfectamente cuál era la sensibilidad enorme que el tenía [imagen de Dr. Plinio comulgando] a la eucaristía ... Tengo la certeza absoluta que él, que no tenía medios de operar una transubstanciación, pues su salud se lo hubiera impedido pues se hubiese emocionado en demasía, el permitió que sus esclavos, sus hijos, lo hiciesen." [Traducción libre.]

Esta joya de la teología eucarística del Sr. Dr. theol., Mons., y un largo etc... es, no me cabe más remedio que decirlo, fe-no-me-nal!

Es la conclusión del mejor sentido común de las premisas "Dr. Plinio es el dueño de mis facultades [cf. la misma fuente]" y "En la santa Misa yo sigo siendo un mero instrumento en las manos del Dr. Plinio" entonces "el Dr. Plinio consagra místicamente a través de este esclavo".

Para los Heraldos... quién consagra?

Dejando la ironía de lado, es alarmante y desconcertante que esta doctrina sea enseñada y aún peor, practicada por los sacerdotes de Virgo Flos Carmeli en sus dos misas diarias por las intenciones de Mons. Joao Cla.

Esto podría suponer:

1. Serias dudas sobre la validez de los sacramentos realizados místicamente por Dr. Plinio [bien entendu, si adherimos a los dogmas de la Cátedra de la Cantareira].

2. y graves y fundadas dudas (al menos) sobre la liceidad de los sacramentos confeccionados concretamente por sus "prolongaciones místicas [cf. el video ya mencionado]" que son los sacerdotes plinianos.

Esta duda radica en la algo debatida “intención de hacer lo que quiere la Iglesia”. La condenación del jansenismo en 1690:

[proposición condenada] Es válido el bautismo conferido por un ministro que guarda todo el rito externo y la forma de bautizar, pero resuelve interiormente consigo mismo en su corazón: «No intento hacer lo que hace la Iglesia». cf. Dz 1318, DS 2328;

Confirma lo enseñado por el concilio tridentino en 1547: "Can. 11. Si alguno dijere que en los ministros, al realizar y conferir los sacramentos, no se requiere intención por lo menos de hacer lo que hace la Iglesia, sea anatema." cf. Dz 854, DS 1611

No entro más en detalle por el momento, pero someto esta diatriba a la seria reflexión de los Heraldos, filo-Heraldos, y todos los que (no) se toman en serio las enseñanzas de Nuestro Señor Jesucristo y la praxis bimilenaria de la Iglesia.

Recemos en caridad por estos nuestros hermanos, para que en vez de perder el tiempo en elucubraciones pseudoteológicas, puedan prepararse adecuadamente a la visita apostólica que se rumorea, y que habiendo ocultado astutamente lo que los visitadores no pueden ver ni oir, las autoridades puedan felicitarse de concluir la pesquisa con un inocente y frenético: FE-NO-ME-NAL

Ver artigo original no blog "sectaseclesiales"

×

CERIMÔNIA DA BAGARRE


(A cerimônia é toda ela cantada e proclamada. O travessão na frente das frases indica a alternância entre os proclamadores).

Canto (Toca o sino duas vezes).
– Cavaleiros, atenção!
– Flectate genua.
(Canto) De lamentacione Jeremiae Profetae
– De Profundis clamavi, ad te Domine! Domine, exaudi vocem meam.
– Bem poderia suplicar a cristandade em ruínas! Destruídas foram suas muralhas, dispersas as pedras e em pó reduzidas.
– Os estandartes que sobre suas torres tremulavam na lama, agora rolam atirados ao solo por aqueles mesmo que os portavam.
– As graças e dons que dela faziam a cidade de Deus aos esplendores do Padre eterno, se recolheram...
– Mas se ao menos a Catedral que em seu cerne se erguia intacta estivesse abandonada, infiltrada e traída, aos poucos foi sendo desfigurada e prostituída. A abominação da desolação instalou-se no lugar sagrado.
– Ó vós todos que passais pelo caminho, parai e vede se a dor semelhante a minha dor. Ouvi ó povos todos o brado lancinante que ao Céu se ergue implorando vingança.
– Clama por vingança o sangue infinitamente precioso de Nosso Senhor Jesus Cristo.
– Ao trono de Deus sobe o inocente sangue de todos os justos, que desde Abel até os nossos dias foram mortos pela maldita raça da serpente.
– Bradam aos céus os estandartes caídos, as torres e muralhas desmanteladas.
– Por vingança, sobretudo clama o desfiguramento da Santa Igreja, cidade de uma beleza perfeita e alegria do mundo inteiro.
(Voz de comando) – Cavaleiros, levantar!!!
(Som de botas batendo com força ao chão).
(Voz de comando) – Cavaleiros, para tirar o capuz!
(Som de órgão).
– Entretanto, senhor, (referindo-se a Plinio Corrêa de Oliveira) como torre de ouro de virgindade, do fundo deste abismo e com o cimo tocando no próprio coração imaculado e sapiencialmente monárquico de Maria, vos erguestes em toda vossa alcandorada inocência e sacral senhorio!
– Manifestantes, Ó varão da destra de Maria! Vossa grandeza soberana, sacrificada e dadivosa e incondicional escravidão a santíssima virgem.
– Brilhando em meio às trevas neste século de maldição, vossa vida é a afirmação mais protuberante da onipotência infinita superioridade do próprio Deus!
– Discípulo perfeito de Nosso Senhor Jesus Cristo, vós amorosamente osculastes abraçaste e carregastes a enorme cruz com que a Providência vos galardoou.
– Consumido de inextinguível zelo pela glória da Santíssima Virgem, inúmeras vezes transformastes essa cruz em gládio para extirpar vossos adversários, e este gládio em cruz para soerguer a santa igreja e restaurar a civilização cristã.
– Porém... para saciar vossos anseios, senhor, não bastava carregar o imenso sacrifício da fidelidade do isolamento.
– Não bastava de cabeça erguida aguentar no peito o ódio do mundo inteiro.
– Não bastava o fragor de uma luta sem trégua nem quartel contra a hidra revolucionária.
– Não bastava reduzir ao humilhante silêncio os potentados das trevas pela angélica contundência de vossas denúncias e pela inquebrantável lógica de vossos argumentos.
– Para vós, ó senhor e pai nosso! Nada disso era suficiente.
– Vossa alma voava mais alto.
– Vosso coração ardia com labaredas ainda mais ardentes.
– O firmamento inteiro não seria suficiente para conter o vosso fogo.
– Quisestes, então, senhor, oferecer a Maria santíssima o único holocausto digno dela: o sacrifício da vossa sacral pessoa.
– Assim transformastes uma vez mais o gládio em cruz. Abraçando-a, osculando-a e deixando-vos nela pregar, desfechastes supremo golpe.
– E no instante que vossa alma de profeta e de vítima cruzava os umbrais da eternidade, a revolução recebia em sua fronte o selo da morte.
– Só isso? Não!
– Muito maior é o preço de vosso sangue, senhor.
– Vosso holocausto resgatou definitivamente do abismo onde jaz, quase morta e esquecida, a cristandade, o mais belo lírio brotado ao pé da cruz do Divino Redentor.
– Vosso holocausto – ó mistério insondável – reconstruirá por completo as muralhas sagradas da Santa Igreja Católica, nascida do flanco aberto do homem Deus e traída agora por seus próprios sentinelas.
– Desplumados esses por vossa ação, ressurgirá ela quão terna menina, embalados em vossos braços fortes e virginais.
– Vosso holocausto, ó profeta de Maria, atraiu sobre a terra as chamas ardentes do fogo com que o Divino Espírito Santo queimará tudo que nela há de péssimo e incendiará de amor todas as almas eleitas pela Providência.
– Vosso Holocausto, ó Patriarca da Altíssima, alcançou para Nossa Senhora o triunfo mais glorioso, a era mais abençoada, a civilização mais esplendorosa que que os séculos jamais conheceram: O REINO DE MARIA.
– Ah, bendito o 3 de outubro de 1995!
(Som de botas batendo com força ao chão).
(Voz de comando) – Cavaleiros, ao compasso! Marcar passo! Em frente!

(Música)

No me mueve, mi Dios, para quererte
el cielo que me tienes prometido, 2X
ni me mueve el infierno tan temido
para dejar por eso de ofenderte. 2X

(Voz de comando) – Volver.

Tú me mueves, Señor, muéveme el verte
clavado en una cruz y escarnecido,
muéveme ver tu cuerpo tan herido,
muévenme tus afrentas y tu muerte.2X
(Voz de comando) – (inaudível) ... VOLVER.

(Música)

Mon Dieu, Mon Dieu, donne-moi la tourmente,
Donne-moi la souffrance,
Donne-moi l'ardeur au combat.
Mon Dieu, Mon Dieu, donne-moi la tourmente,
Donne-moi la souffrance,
Et puis la gloire au combat, et puis la gloire au combat.

Mon Dieu, Mon Dieu, donne-moi la tourmente,
Donne-moi la souffrance,
Donne-moi l'ardeur au combat.
Mon Dieu, mon Dieu, donne-moi la tourmente,
Donne-moi la souffrance,
Et puis la gloire au combat, et puis la gloire au combat.

Ce dont les autres ne veulent pas,
Ce que l'on te refuse,
Donne-moi tout cela, oui, tout cela.
Je ne veux ni repos, ni même la santé
Tout ça, mon dieu, t'est assez demandé.

Mais donnes-moi, mais donnes-moi,
Mais donnes-moi la foi
Donne-moi force et courage,
Mais donnes-moi la foi, donnes moi force et courage,
Mais donnes-moi la foi
Pour que je sois sur de moi!

Donne-moi la tourmente,
Donne-moi la souffrance,
Donne-moi l'ardeur au combat.
Mon Dieu, mon Dieu, donne-moi la tourmente,
Donne-moi la souffrance,
Et puis la gloire au combat, et puis la gloire au combat.

(Tradução abaixo)

Meu Deus, meu Deus, me dê o tormento, me dê sofrimento, me dê o ardor para lutar. Meu Deus, meu Deus, me dê o tormento, me dê sofrimento e então glória na batalha, e depois glória na batalha. Meu Deus, meu Deus, me dê o tormento, me dê sofrimento, me dê o ardor para lutar. Meu Deus, meu Deus, me dê o tormento, me dê sofrimento E então glória na batalha, e depois glória na batalha. O que os outros não querem, o que nós recusamos, me dê tudo isso, sim, tudo isso. Não quero descanso nem saúde, tudo isso, meu deus, você já perguntou o suficiente. Mas me dê, mas me dê, Mas me dê fé, me dê força e coragem, mas me dê fé, me dê força e coragem, Mas me dê fé para eu ter certeza de mim mesmo! Me dê o tormento, me dê sofrimento, me dê o ardor para lutar. Meu Deus, meu Deus, me dê o tormento, me dê sofrimento E então glória na batalha, e depois glória na batalha.

(Voz de comando) – AUTO!
(Momento de silêncio – 40 segundos).
(Voz de comando) – Ordem aos eremitas que formam a cruz. AJOELHAR!!! (Som de botas batendo com força ao chão).
(Canto) – Eis o gládio de meu senhor sacral, gládio exterminador da Revolução, gládio da mais implacável demolição. Ow ow ow... da Revolução.
– Ah Gládio, atirai-vos! Ide para a direita e para a esquerda, para todas as faces onde se erguem os teus exércitos.
– Ah espada, espada afiada e polida, para matar as vítimas fostes aguçada, para resplandecer fostes polida!
– E ao senhor a entreguei para ser polida, para que fosse empunhada essa espada, afiada e polida, deve estar na mão daquele que MATA.
– Eu a aprovei! Ela romperá os séculos, e eis que não subsistirá.
– Que seja duplicado e triplicado esse gládio! O gládio da grande matança que aterroriza e faz afetar os corações! Gládio que multiplica ruínas.
– Ah, clama e brada, em foi desembainhado em todas as partes eu tripudiei o terror dessa espada pontiaguda.
– Contra toda carne foi desembainhada! E não voltará à sua bainha.
– Eu aplaudirei a minha cólera pelo senhor é que pai.
– Plinio Corrêa de Oliveira, espada desembainhada aguçada e limada.
– Plinio Corrêa de Oliveira, gládio que multiplica ruínas.
– Plinio Corrêa de Oliveira, templo magnífico e guerreiro cristão!
– Plinio Corrêa de Oliveira, increpador duro e terrível, fogo devorador!
– Plinio Corrêa de Oliveira, pedra de escândalo e sinal de contradição!
– Plinio Corrêa de Oliveira, vaso sagrado de ódio e de zelo, torre de fortaleza ante o inimigo!
– Plinio Corrêa de Oliveira, receptáculo de inconformidade sacral, brado de guerra que sobe aos Céus!
(Voz de comando) – Ordem aos eremitas que formam a Cruz, LEVANTAR!!!
(Som de botas batendo com força ao chão).
(Voz de comando) –Cavaleiros ao compasso! Marcar passo!
(Som de marcha).
(Voz de comando) Para formação em PONTA, MARCHE!
(Voz de comando) – Em frente!
(Música) Ow ow ow...
(Som de marcha).
(Voz de comando indecifrável).
(Voz de comando) – Volver!!!
(Voz de comando) – EM PONTA, MARCHE!
(BRADO COLETIVO)
(Voz de comando) – EREMITAS!
(Troca de música: Quem somos nós!)

Quem somos nós? Os que não dobram os dois joelhos, nem sequer um só diante de Baal. Os que temos a lei de Deus escrita no bronze de nossas almas e não permitimos que as doutrinas deste século gravem seus erros sobre este bronze...

(Voz de comando) – REVERÊNCIA!!!

... que a sagrada redenção tornou!

(Momento de silêncio).

– Utilizando misteriosa linguagem, e desvendando às gerações futuras a verdadeira estatura dos acontecimentos, um varão de Deus (Bem-aventurado Palau) proclamou com quase um século de antecedência a imensa grandeza de vosso holocausto, senhor.

– “O mundo há de ser redimido uma segunda vez, semelhante à forma com que foi da primeira, pois Satanás, seu verdadeiro tirano, foi novamente desencadeado.
– “E gozando de liberdade com as suas ações sobre seu cruel e despótico domínio...
– “... a igreja mudará uma segunda vez a face, mas antes deve descer ao silêncio do demônio, e tendo seus feitos destruídos, ela se recolherá à solidão da montanha. Ali receberá o Espírito Santo, e a plenitude de todos os dons de que precisa para salvar a sociedade moderna.
– “Haverá um anjo que descerá dos céus, ou seja, um homem com uma missão especial de Deus. Este homem será o restaurador! Há de ser um homem! Por que Deus decretou que os demônios sejam lançados no inferno por mãos do homem.
– “Quem será esse homem?
– “Será o restaurador prometido por Jesus cristo pela sociedade dissoluta e entregue à completa anarquia impotente por si mesma, para constituir uma ordem.
– “Será um apóstolo, um profeta, um Moisés, um Elias.” (Termina a proclamação das palavras do Bem-aventurado Palau).
– Ah, senhor e pai nosso (voltando-se para Plinio Corrêa de Oliveira), desde o momento de vosso encontro face a face com Deus, quem vos procura vos encontra a todo momento e em todo lugar.
– Mais do que nos estandartes que se erguem ao vento, vós estais vivo por inteiro na sagrada escravidão levada à sua plenitude.
– E em essência, senhor, essa graça vossos filhos fazem.
– Entretanto, nossos corações bradam e o universo clama por vossa vinda em pessoa.
– O Grand Retour nós o queremos receber pela virtude de vosso sacral olhar.
– A BAGARRE nós a queremos enfrentar com o gládio em vossas mãos.
– E o Reino de Maria, senhor, nós o queremos ver proclamar em pessoa.
– Vossa vinda há de ser o nosso Grand Retour!
– Vossa vinda senhor há de ser a Bagarre para a Revolução.
-Vossa vinda há de ser o Reino de Maria descido do Céus.
– Vinde, senhor, não tardeis!
– Vinde por que os tempos se cumprem.
– Vinde como os profetas que vos anunciaram.
– Vinde realizar vós mesmo as vossas profecias.
– Vinde para que sejam criadas as novas maravilhas de Deus, e renovada a face da terra.
– Vinde e reinai em nossos corações!
– Abri, senhor, as portas da SAGRADA ESCRAVIDÃO!
– Vinde e trazei convosco a graça do Grand Retour que tantas e tantas vezes nos prometestes.
– Vinde, senhor, vinde com vossa e nossa senhora, a Senhora Dona Lucília.
– Vinde com ela (inaudível)! “Viver é estar juntos, olhar-se e querer-se bem” (frase que Dona Lucília, mãe de Plinio, repetia muito).
– Senhor, vinde, vinde para serdes coroado por Maria Santíssima como um varão de Sua destra e senhor de todos os dons d’Ela.
– Vinde já, faça justiça para com os maus! E na vossa clemencia para os que vos esperam.
– Vinde e vingai! Vinde e destruí! Extirpai e queimai...
– Vinde e precipitai ao Inferno Satanás e todos os espíritos malignos que para a perdição das almas vagueiam pelos ares e pelo mundo!
– Vinde e tornai repleta a terra com vossa glória!
– Vinde, ó meu senhor sacral! Não tardeis! Nós vos suplicamos. Assim seja!
(Voz de comando) – Há momentos, minha mãe... (Oração composta por Plinio Corrêa de Oliveira com o objetivo de se alcançar a união de alma com ele).
(Todos) – ... em que minha alma se sente, no que tem de mais fundo, tocada por uma saudade indizível. Tenho saudades da época em que eu Vos amava e Vós me amáveis na atmosfera primaveril de minha vida espiritual. Tenho saudades de Vós, Senhora, e do paraíso que punha em mim a grande comunicação que tinha convosco. Não tendes também, Vós, Senhora, saudades desse tempo? Não tendes saudades da bondade que havia naquele filho que fui? Vinde, pois, ó melhor de todas as mães, e por amor ao que desabrochava em mim, restaurai-me: recomponde em mim o amor a Vós, e fazei de mim a plena realização daquele filho sem mancha que eu teria sido, se não fosse tanta miséria. Dai-me, ó Mãe, um coração arrependido e humilhado, e fazei luzir novamente aos meus olhos aquilo que, pelo esplendor de vossa graça, eu começara a amar tanto e tanto! Lembrai-Vos, Senhora, deste David e de toda a doçura que nele púnheis. Assim seja!

Domina Nostra a Santa Gesta, ora pro nobis!
Domina Nostra a Bonum Sucesso, ora pro nobis!
Senhora Dona Lucilia, mãe nossa, ajudai-nos!
Nosso pai e senhor, rogai por nós.
(Voz de comando) – Cavaleiros, Levantar (barulho de botas batendo com força ao chão).
– Cavaleiros, para colocar o Capuz...
(Voz de comando).
Dignare me pugnare pro te, Virgo Sacrata! (Dignai-vos lutar por vós, Virgem Sagrada!
(Todos) – Da mihi virtutem contra hostes tuos! (Dai-me força contra os vossos inimigos!).
Inimicitias ponam, ipsa conteret! (Porei inimizade, Ela esmagará).
(Barulho de botas batendo com força ao chão).

(Este documento é uma transcrição de uma fita k7 que foi gravada por volta do ano de 2001 na sede dos Arautos, conhecida como Êremo do São Bento, em São Paulo, Zona Norte).